• Arquiteto Elimar do Carmo

Quais PROJETOS eu preciso para construir minha casa?

Quando decidimos construir ou reformar um imóvel, seja ele comercial ou residencial, pode-se surgir dúvidas de por onde começar, e quais profissionais deve-se contratar!


O primeiro profissional que você deve procurar é o arquiteto! O arquiteto é o único profissional capacitado e qualificado para fazer um bom PROJETO ARQUITETÔNICO que irá direcionar todos os outros projetos e profissionais.


Com o projeto arquitetônico em mãos, você deve procurar os engenheiros para fazer os projetos complementares. Tais projetos levam esse nome de "complementares" pois eles complementam e apoiam o que foi decidido e projetado no projeto arquitetônico pelo arquiteto. Dentre esses projetos, temos: Projeto Estrutural, Hidrossanitário/Hidráulico, Elétrico, Luminotécnico, Abastecimento de GLP, Paisagístico, Interiores, dentre outros.


Mas não se preocupe pois você não vai precisar te todos esses projetos não! Os projetos complementares podem se apresentar como obrigatórios ou opcionais, dependendo do tipo de uso do espaço e o tamanho dele.

Por exemplo: uma residência geralmente necessita apenas do projeto arquitetônico e o estrutural, sendo o elétrico e o hidrossanitário opcionais em algumas cidades, já um shopping necessita de todos os projetos citados acima.



CONHEÇA UM POUCO DE CADA UM DESSES PROJETOS:


- PROJETO ARQUITETÔNICO: Com base no terreno que irá sediar a construção, nas demandas dos moradores e em estudos de conforto bioclimático, ergonomia, funcionalidade e estética, o arquiteto irá planejar as espacialidades da construção: o desenho em planta, a técnica construtiva usada, os materiais e revestimentos.


- ESTRUTURAL: Após o arquiteto decidir a volumetria da construção, o engenheiro civil fará os cálculos da estrutura: fundação, arrimos, colunas, vigas e lajes, bem como a quantidade e proporção dos materiais usados na estrutura.


- HIDROSSANITÁRIO: Enquanto o arquiteto é responsável por decidir onde ficam os reservatórios de água, torneiras, bacias sanitárias e ralos, o engenheiro já é responsável pelo planejamento do caminho das tubulações de abastecimento de água e da passagem de detritos para a rede de coleta de esgoto.


- ELÉTRICO: Enquanto o arquiteto decide onde ficam as tomadas, apagadores e pontos de luz, o engenheiro eletricista é responsável pelo planejamento da passagem da fiação elétrica e a conexão com a rede local de energia. Geralmente é obrigatório apenas em residências unifamiliares e espaços comerciais.


- INTERIORES: Possui as mesmas funções, estudos e objetivos do projeto arquitetônico, porém projetado na escala dos revestimentos, mobiliários e decoração do espaço. Se apresenta como um projeto complementar opcional, porém é destinado para todos os tipos e tamanhos de ambientes.



Outros projetos complementares são menos utilizados em residências, sendo destinados a construções prediais ou comerciais de grande porte, são eles:



- LUMINOTÉCNICO: Planejamento do tipo e quantidade de luz que cada ambiente deve possuir de acordo com seu uso, de forma eficiente e econômica.


- PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO: Planejamento da quantidade e locação de hidrantes, extintores, portas corta-fogo, detector de gás e calor por alarme, dentre outros equipamentos que previnam incêndio e que forneçam segurança aos usuários do espaço.


- ABASTECIMENTO DE GLP: Em prédios residenciais que façam uso do gás como forma de manter o ambiente aquecido ou para esquentar água, esse projeto planeja a distribuição das tubulações em todos os apartamentos. Casas também podem se utilizar do gás, seguindo um modelo de distribuição semelhante aos apartamentos.

- COMUNICAÇÃO: dispõe sobre a instalação de linhas de telefone, comunicação por interfone, internet, etc. Geralmente destinados apenas a grandes empresas ou prédios comerciais.

- PAISAGÍSTICO: Podendo ser executado tanto pelo próprio arquiteto quando por outro profissional com especialização nessa área, consiste no planejamento da vegetação externa do projeto. O projeto envolve tanto a escolha das mudas a serem usadas como a distribuição dos canteiros, dos espaços de circulação e de elementos de mobiliário. Geralmente são feitos para grandes áreas em escala urbana.


Existem ainda vários outros, que são mais específicos para um determinado uso ou equipamento, como projeto de automação residencial, ar condicionado, sistema de alarmes, circuito interno de TV, etc.



DICAS E VANTAGENS PARA CONTRATAR UM BOM PROJETO:


1 – Projetos não são gastos, são investimentos:


Tanto o projeto arquitetônico quanto os projetos complementares, são decisivos para uma obra tranquila e de qualidade, prevenindo danos e dores de cabeças no futuro. Sendo assim, devem ser tratados como um investimento e não um gasto a mais, pois falhas estruturais, elétricas e hidráulicas podem – muito provavelmente vão – diminuir o valor de venda do imóvel, além de gerar gastos exorbitantes e transtornos para a vida do proprietário.


O projeto elétrico é um grande exemplo desse tipo de problema, onde a falta de um projeto muitas vezes pode sair caro: por ser obrigatório apenas em residências unifamiliares, muitas pessoas escolhem fazer elas mesmas a instalação, ou deixam por conta do eletricista o planejamento sem o aval do engenheiro eletricista. Isso pode resultar em quedas de energia, choques no chuveiro, curtos circuitos e representa até mesmo riscos de incêndio.



2 – Projetos personalizados para você!


A qualidade dos projetos complementares se apresenta em grande parte na sua adequação ao projeto arquitetônico, bem como respeitar as decisões e espacialidades projetadas pelo arquiteto, sendo feitos pensado caso a caso para cada cliente.


Como dissemos anteriormente, os projetos complementares devem completar o arquitetônico, trazendo elementos feitos sob medida para comportar os detalhes que os arquitetos projetaram para os ambientes.



3 – Faça-os com os profissionais qualificados:


Os arquitetos e engenheiros responsáveis por cada um dos projetos possuem o conhecimento específico para seus projetos e garantem muito mais segurança e valor para a realização da construção.


Infelizmente, ainda existem no mercado projetos oferecidos por pessoas não qualificadas para sua execução, que em sua maioria não apresentam nenhum estudo de caso ou embasamento teórico em sua elaboração. Deve-se tomar cuidado com a escolha do profissional escolhido, e desconfiar de ofertas muito abaixo do mercado ou de pessoas - muitas das vezes com experiência prática, mas - sem qualificação.




Confira também nosso vídeo sobre o tema no nosso canal do YouTube:


E que tal ter o acompanhamento de um arquiteto durante o processo? *Clique aqui* e marque uma conversa comigo, podemos analisar juntos o melhor serviço para o seu caso!


Conte pra gente nos comentários o que você achou deste tema! Ainda resta alguma dúvida? Entre em contato conosco que teremos o maior prazer em responder todas as suas dúvidas!

  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • Facebook - White Circle
  • Pinterest - White Circle
  • LinkedIn - Círculo Branco